7 de agosto de 2015

Candidato pelo PDR / Legislativas 2015









" Pois. 
A "bomba caiu". Já era esperado. A política mexe sempre com convicções arreigadas e antigas de todos nós. E cada um é rei da sua consciência e da sua vontade. E julga sempre ter a matriz absoluta da verdade no seu partido, na sua visão, na sua escolha. Nanja eu, amigos. Abro sempre uma porta à dúvida.

Mas asseguro-vos então:  Mesmo sendo um telúrico e crónico não-alinhado, serei sempre um lutador pela Cultura e pela Liberdade. 
A minha matriz vem de Abril. Assumida e eterna. Sempre fui um homem de esquerda; mas sem partido. Não devo historicamente nenhuma explicação sobre isso. Tenho orgulho de o ser e continuarei a sê-lo toda a minha vida. Lutei demasiado pela  Justiça pela Democracia e pela Liberdade para agora me darem ensinamentos súbitos de como e onde caminhar. Tive letras censuradas e discos apreendidos. Aprendi a Liberdade e corri este país de lés a lés com o MFA. Como admitir que essa não seja e continue a ser a minha matriz, o meu berço politico, a minha identidade, a minha razão de viver?!

Esta não é uma "venda" como alguns já disseram, -insultuosa e estupidamente - é uma forma de tentar fazer alguma coisa; e não ficar a ver os mesmos de sempre intoxicarem o país de divida, corrupção e oportunismo. Uma forma que me ofereceram de combater, sem dogmas, para devolver Portugal do lixo actual à sua velha dignidade e auto-estima.
Se algum desvio houver desse pressuposto, garanto que serei o primeiro a acusa-lo. A minha independência assegura-o.

Continuarei igual, livre e interveniente. Mas neste momento, desculpem, acho que há que intervir declaradamente! Há que combater por um novo Abril; como não sou homem de armas, tentarei combater pelo voto. É um caminho, eu acho! Não é perfeito. Não há nunca vias "ideais" nem opções partidárias "perfeitas". Decerto menos ainda em "paraísos opinativos obrigatórios". 

Não desejo fazer da política nem profissão nem profissão de fé. Continuarei a ser um livre-pensador. Talvez por isso, várias forças concorrentes me convidaram... 
Optei por este projecto por não me impor "distanciar-me de mim" para o integrar. Mantendo-me democrata, laico, de esquerda, por Abril e sequioso de um pais melhor, mais sério e menos corrupto. Sem me impor ortodoxias ou dogmas ideológicos impeditivos cujos sempre repudiaria. 

E por me oferecer liderar a lista pelo meu eterno Ribatejo. Quero ser assim representativo e útil à minha região, - como sempre fui...- mas agora num outro registo, mais institucional. Deixo isso ao vosso cuidado. Encarem, se conseguirem, como um voto pessoal; dos tais que ainda não são permitidos. 

Meu abraço a todos os que têm "credos" e opções diferentes, - desde que lutem contra este cansativo e recorrente elenco de cromos já tão cansados, repetidos e de onde mais nada há a esperar. 

Obrigado intenso e caloroso aos que estão comigo nesta luta, que repito, nunca alterará o que sou, como homem livre, pensador e criador. E a todos os que - mesmo não concordando com esta incursão - ainda assim, mantêm a amizade independente das opções pessoais. Como os compreendo e aprecio. 

Pois também eu acredito que as pessoas estão sempre primeiro. Aliás, assim espero... Primeiro, muito primeiro."


Pedro Barroso

Fonte -  Facebook 




Sem comentários:

Enviar um comentário