11 de janeiro de 2017

Teatro Tivoli - 2017



















“Eram mais de mil vindos de toda a parte e reuniram ontem numa famosa e centenária catedral da Cultura em Lisboa. 
Portugueses q buscam azimutes e referencias na sua identidade; mas também na ternura, na fraternidade, na sensibilidade, na valorização do sonho e da poesia. No entanto, gente a quem viver o sonho e a fantasia não escurece nunca nem o desejo de conhecimento e a sua busca, nem o assento basilar dos saberes da vida. 
Sim. Celebrou-se a música e as palavras. Por vezes difíceis e complexas; outras vezes evidentes e bem-dispostas. Mas é assim q se conjuga a arte de sermos humanos e comungar emoções. 
Não foi um espectáculo; foi uma liturgia conjunta e fraterna da arte de viver. 
Uma espécie de reunião de conjurados q defendem, talvez, outro paradigma de humanismo, urbanidade e vontade colectiva. Com referências presentes da utopia q sempre eleva o Homem ao espaço do sonho e da alquimia. Viveu-se sobretudo uma enorme celebração da arte de estar vivo, gostar de estar c os outros, e de - mesmo amando o passado e a Historia - desejar projectar Futuro com força e vontade de melhorar, valorar, fazer diferente.
Obrigado mº grande a todos os cúmplices q estiveram comigo neste percurso - de que, sinceramente, ainda não assentei chão. Obrigado à orquestra - ao Nuno, Ana, Miguel, Susana, Luís, Manuel e David - Somos lindos qd somos assim. 
E obrigado aos 1058 q estiveram no Tivoli. Arrisco dizer, somos já muitos - decerto demasiados, para q nos ignorem! Passem palavra, já agora, para q os deuses da sapiência percebam q existimos.
Desejo que o q ali se viveu ontem trespasse muros e ameias de um certo viver cinzento. O tal q glorifica a mediocridade, o estrangeirismo gratuito e a conveniência. Porque somos muito maiores q isso. Sempre q nos reunirmos, façam um favor; como diria o velho Zeca: - "tragam mais cinco!"
E talvez um dia possamos instituir o tal “estado de felicidade permanente”, como sonhava Moustaki. E o planeta dê as mãos em busca de amor e dignidade. 
Obrigado imenso a todos por um dia inesquecível, indescritível e q me deixou sem… palavras.”

08-Jan-2017
Fonte –  Pedro Barroso  

Para FotoReportagem completa da Infocul, clicar  Aqui 


Sem comentários:

Enviar um comentário